Nos últimos artigos comentamos sobre as principais diferenças de temas que comumente são confundidos como: produção e produtividade e inovação e novidade. Neste artigo abordarei dois dos últimos temas que considero de fácil confusão, que são a eficiência e eficácia.

A eficiência trata-se da maneira como se fazer as coisas, se preocupando com os meios, minimizando os recursos utilizados e ausentando os desperdícios.

Já a eficácia trata-se do que fazer, se preocupando com os fins e com a maximização de objetivos, escolhendo os objetivos mais apropriados.

Um exemplo: Em uma sala um ventilador ventila o ambiente por completo gerando a satisfação daqueles que estão no ambiente a um custo de R$ 5,00 de energia por hora.

Em outra sala de mesmas dimensões um ventilador ventila o ambiente por completo gerando a mesma satisfação daqueles que estão no ambiente a um custo de R$ 2,00 de energia por hora.

Podemos observar que ambos cumprem bem o seu papel de ventilar, porém o primeiro a um custo 150% mais caro que o segundo. Concluímos que o ventilador do primeiro exemplo é eficaz em sua tarefa, mas o segundo é eficiente por minimizar os custos cumprindo o mesmo papel.

José Roberto do Valle, sócio-diretor da Scotwork do Brasil, define em analogia que ‘’ a eficiência é cavar, com perfeição técnica, um poço artesiano; eficácia é encontrar a água. ’’

E para finalizar, a definição daquele considerado como o pai da administração moderna; Peter Drucker: ‘’ eficiência é fazer as coisas de maneira correta, eficácia são as coisas certas. O resultado depende de fazer certo as coisas certas ‘’

A eficiência e a eficácia são essenciais no mundo sócio-econômico, como também no dia-a-dia de todos. Experimente verificar a eficiência e eficácia em sua casa nos aparelhos eletrônicos, no método de organização de seus objetos, no método de limpeza da casa, etc. Pequenas aplicações destes conceitos são fundamentais para o desenvolvimento da habilidade de ser eficiente!


Gustavo Lincoln Ricardo Pimenta

Estudante de Administração

28/2/10